domingo, 30 de julho de 2017

O que o coração me diz


No convento franciscano de Lyon há uma inscrição que indica um caminho para nos sentirmos satisfeitos com a nossa vida: "Evite cobiçar tudo o que você vê, acreditar em tudo o que ouve, dizer tudo o que sabe e fazer tudo o que pode!" Quem quer tudo o que vê, nunca chegará a si mesmo. A sua felicidade depende do que possui. E vê sempre outras coisas que não possui. Portanto, nunca estará em sintonia consigo mesmo. Aquele que precisa dizer tudo o que sabe está constantemente pressionado a acrescentar algo à conversa. Ele precisa mostrar todo o seu conhecimento às pessoas. E nunca vivenciará o eco que tanto deseja. Preciso conformar-me com o que o coração me diz. Então estarei livre da pressão de ter de dizer tudo, fazer tudo, acreditar em tudo. 

GRÜN, Anselm. Deixe as preocupações de lado e viva em harmonia. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010. p. 111-112.


Pintura de Paul de Longpre
Século XIX

terça-feira, 4 de julho de 2017

A vida é como um piquenique



A vida é como um piquenique em uma tarde de domingo: não dura muito. Só olhar o sol, sentir o perfume das flores ou respirar o ar puro já é uma alegria. Mas, se só ficarmos discutindo onde pôr a toalha, quem vai sentar onde, quem vai ficar com o peito ou a coxa do frango... que desperdício! Mais cedo ou  mais tarde o tempo muda, a tarde cai, e o piquenique termina.
E tudo o que fizemos foi discutir e implicar uns com os outros.

RINPOCHE, Chagdud Tulku. Sementes de sabedoria: reflexões budistas para cultivar a paz. Tês Coroas: Makara, 2012. p. 34.




Pintura de Edmund Tarbell (1862-1938).