terça-feira, 6 de junho de 2017

Criatividade e pensamento positivo



Além de aprender a soltar, o uso correto da criatividade e o pensamento positivo nos ajudam a superar as dependências. 
Frequentemente vivemos na ilusão de que só podemos ficar alegres graças aos objetos, pessoas e lugares, mas a alegria é algo que experimentamos quando colocamos nosso coração em alguma coisa, sendo a nossa intenção a de dar, e não a de tomar.
Na atividade criativa, a que experimentamos mais gozo, nossa alegria vem de dentro e se expressa para fora; ela não vem de fora para dentro.
O desenvolvimento pessoal criativo nos ajuda a superar a preguiça. Ao superá-la, recuperamos a força necessária para libertar-nos de certas dependências, como a dependência da criatividade de outros para que eles nos entretenham. Está certo desfrutar do entretenimento, mas o importante é você ser capaz de passar um bom momento sendo criativo você mesmo, superando a preguiça, o aborrecimento e a atrofia criativa interior.
Com seus pensamentos e sentimentos você cria e percebe o mundo ao seu redor. Conforme sejam seus pensamentos, assim serão seus sentimentos e emoções, sua atitude e suas ações. Este processo costuma se produzir de forma rápida e, frequentemente, você nem é consciente de que está acontecendo. Como este processo se repete seguidamente, com facilidade a partir dele é criada uma série de hábitos. [...].
É importante aprender a transformar e chegar a evitar, quer dizer, a não criar os pensamentos desnecessários, para estar mais centrado e enérgico, e ter mais clareza a fim de tomar as decisões adequadas.
Os pensamentos positivos curam e fortalecem a mente. Uma mente sadia é a base de uma personalidade equilibrada.
Aprendamos a criar pensamentos de mais qualidade. Eles surgem de uma visão mais ampla do nosso ser interior. Dessa forma, graças a esses pensamentos positivos, cheios de paz, harmonia e criatividade, a mente irá se limpando, e a memória das nossas qualidades inatas se ativará novamente, substituindo de forma natural os velhos hábitos e as tendências negativas.

SUBIRANA, Miriam. Viver em liberdade: limites, sonhos e o essencial. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011. p. 50-52.


Pintura de Abraham Solomon (1823-1862)

Nenhum comentário:

Postar um comentário