domingo, 12 de junho de 2016

Até que ponto eu te amo?


Até que ponto eu te amo? Deixe-me dizer.
Eu te amo até a profundidade e a amplidão e as alturas
Que a minha alma consegue alcançar, quando sente o inatingível
O objetivo de Ser a Graça ideal.
Eu te amo no nível
Da mais tranquila necessidade de todos os dias,
Sob o sol ou à luz de velas,
Eu te amo livremente, como os homens se esforçam pelo que é Correto;
Eu te amo puramente, como eles que não buscam Aprovação.
Eu te amo com a mesma paixão
Dos desgostos da velhice, e da crença da infância.
Eu te amo com o amor que eu parecia perder
com meus santos esquecidos - eu te amo com o fôlego,
Sorrisos, lágrimas, de toda a minha vida! -e, se Deus o permitir,
Eu te amarei ainda mais depois da morte.

Elizabeth Barrett Browning (1806-1861)
 
In: DYER, Wayne W. Muitos mestres: sabedoria de diferentes épocas para a vida diária. Rio de Janeiro: Nova era, 2003. p. 143.
 
 
 
 
Pintura de Pierre Auguste Cot.
The Storm, 1880


Nenhum comentário:

Postar um comentário