quarta-feira, 22 de junho de 2016

Autoconfiança


"[...]. Há uma hora na educação de todo homem, na qual ele chega à convicção de que a inveja é ignorância; de que a imitação é suicídio; de que ele tem de se considerar a si mesmo, por bem ou por mal, de acordo com seu quinhão; de que, embora o vasto universo esteja repleto de bem, nenhuma semente de trigo nutritivo pode-lhe advir senão por meio do suor vertido naquele lote de terra que lhe foi dado para cultivar. O poder que nele reside é de natureza inédita, e ninguém senão ele sabe do que é capaz de fazer, e tampouco ele o sabe, antes de o ter tentado. [...]. Um homem estará satisfeito e alegre quando houver empenhado toda a sua alma em seu trabalho e feito o melhor possível; mas aquilo que tiver dito ou feito de outro modo não lhe dará paz. É um livramento em que nada se livra. Na tentativa, seu gênio o abandona; musa alguma o favorece; nem astúcia, nem esperança.
Confia em ti: todo coração vibra em consonância com essa corda de ferro. Aceita o lugar que a Providência Divina te designou, a convivência com teus contemporâneos a correlação de eventos. Grandes homens sempre agiram assim e fiaram-se, à maneira das crianças, no gênio de sua época, revelando sua percepção de que o absolutamente digno de confiança encontrava-se assentado em seus corações, trabalhava pelas suas mãos, predominava em todo o seu ser. [...].
Que o homem saiba, então, do seu valor e mantenha as coisas sob seus pés. Que não espreite nem se mova furtivamente nem se esquive sorrateiramente para cima e para baixo com  ar de um menor abandonado, de um bastardo ou de um intruso, no mundo que existe para ele. [...].
Insisti em vós mesmos; jamais imitai. Vosso próprio dom, podereis expô-lo a todo momento com a força cumulativa de uma vida inteira de aperfeiçoamento; mas do talento adotado de outrem, tendes apenas a posse improvisada e parcial. Aquilo que cada um sabe fazer melhor, ninguém senão seu Autor pode ensiná-lo. Ninguém sabe ainda o que é, nem o pode, até que esta pessoa o exiba. Onde achar o mestre que pudesse ter instruído Shakespeare? Onde achar o mestre que pudesse ter instruído Franklin, ou Washington, ou Bacon, ou Newton? Todo grande homem é único. [...]. Não se faz um Shakespeare pelo estudo de Shakespeare. Fazei aquilo que vos cabe e nunca tereis esperanças demasiadas, nem ousareis em demasia. [...].
Usa, pois, tudo o que se chama Fortuna. A maioria dos homens especula com ela, e tudo ganha ou tudo perde, ao girar de sua roleta. Mas abandona como ilegais esses ganhos, e lida com a Causa e com o Efeito, os chanceleres de Deus. Junto à vontade, trabalha e adquire, e terás agrilhoado a roda da Fortuna, e deixarás de temer suas rotações. Uma vitória política, um aumento de rendas, convalescença de teu doente, ou o regresso de teu amigo ausente, ou algum outro acontecimento favorável eleva teu espírito, e estás certo de, com isso, poder contar com bons dias por vir. Não te fies nisso. Nada te pode trazer paz senão tu mesmo. Nada te pode trazer paz senão o triunfo dos princípios".
 
EMERSON, Ralph Waldo. Ensaios: primeira parte. Rio de Janeiro: Imago, 1994. p. 35-64.
 
 
 
Pintura de Jessie Mothersole (1873-1958)
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário